top of page

UMA CONQUISTA INQUESTIONÁVEL

Em performance que beirou a perfeição, Espanha vence a Inglaterra e conquista a Copa do Mundo.

Foto: Getty Images | FIFA

A melhor venceu.


Na luta pela imposição de ideias e na tentativa de explorar as falhas defensivas desde o primeiro minuto, a Espanha soube tirar proveito dos erros da seleção inglesa e em uma partida de muito equilíbrio, foi a equipe que executou praticamente tudo com perfeição.


Como previsto, a Espanha ficou mais com a bola e aos poucos foi conquistando espaço no campo ofensivo. A Inglaterra sabia que teria que tomar cuidado com as inversões de bola que buscavam os espaços deixados entre as duas linhas de marcação. Sarina Wiegman, de maneira inteligente, segurou Rachel Daly para cobrir este espaço, mas não se pode dizer o mesmo de Lucy Bronze - jogadora que tem uma importância gigantesca na criação de jogadas. A demora na recomposição do lado direito foi o que proporcionou as melhores opções ofensivas da Espanha, tanto que logo no começo do jogo, em uma das chances, Mary Earps fez uma defesa espetacular para salvar as “Lionesess”.


Quando o jogo chegava a um certo equilíbrio, surgiu a primeiro erro grave em uma tomada de decisão. O avanço de Lucy Bronze para o meio sempre fez parte da estratégia, mas ao perder a bola em uma das suas arrancadas, ela deixou um buraco no lado direito que a Espanha tirou proveito e abriu o placar com Olga Carmona.


Com o placar ao seu favor, a responsabilidade de buscar novas alternativas ficou nas mãos de Sarina Wiegman. A treinadora inglesa retomou o 4-4-2 e colocou Lauren James e Chloe Kelly na esperança que em algum lance individual surgisse espaços na muito bem postada defesa espanhola, o que não aconteceu. Com o jogo sob controle, a Espanha teve a chance de defini-lo graças a mais uma falha da seleção inglesa. A experiente Keira Walsh colocou a mão na bola dentro da área, mas na cobrança do pênalti, Mary Earps defendeu o chute de Jenni Hermoso e manteve a Inglaterra no jogo.


Porém, a Espanha manteve o equilíbrio defensivo e a Inglaterra, mesmo buscando mais o ataque, parecia sem forças ou sem criatividade o suficiente para mudar a história do jogo. A atuação da “a Roja” foi melhor nos desafios táticos e os principais talentos individuais fizeram um jogo de altíssimo nível. Por mais que sempre houvesse uma esperança de que um lance pudesse mudar a história do jogo, a verdade é que em nenhum momento deu-se a impressão de que isso aconteceria.


A inquestionável vitória na partida mais importante da história do futebol de mulheres da Espanha premia o trabalho e a luta de mulheres que durante todo este ciclo lutaram pelos seus direitos enquanto batalhavam pelo sonho de conquistarem o mundial. Além disso, premia também uma metodologia e um pensamento de jogo único, que novamente simboliza as grandes conquistas do futebol espanhol. A maior Copa do Mundo de todos os tempos foi conquistada por quem joga o melhor futebol do planeta. Ninguém é campeã do mundial sub-17, do mundial sub-20 e da categoria principal por acaso.


0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page